Quais as 15 linguagens de programação mais conceituadas do mundo?

Quais as 15 linguagens de programação mais conceituadas do mundo?

Descubra quais são as principais linguagens de programação segundo os rankings mais conceituados do mercado: TIOBE, IEEE Spectrum e Redmonk!

Se você chegou até esse post, é muito provável que você já tenha ouvido falar em linguagens de programação. Elas são diversas, estão em constante processo de evolução e foram criadas para resolver algum problema específico da área computacional.



Sim, existem muitas linguagens de programação por aí! Contudo, quais são as principais? qual é o objetivo e filosofia de cada uma? E a origem de cada uma? Relevância no mercado de trabalho?

Pois é exatamente sobre isso que esse artigo irá tratar. Continue lendo e conheça as 15 principais linguagens de programação do mercado de TI!

Código Binário x Linguagens de Programação

Inicialmente, os computadores foram criados para realizar cálculos matemáticos de forma muito mais rápida do que seres humanos são capazes. Para que isso fosse possível, era necessário que as devidas instruções matemáticas fossem repassadas às máquinas. Nesse momento, surgiram as linguagens de programação.

Em outras palavras, para que uma instrução seja “entendida” pelo computador, é necessário que sejam escritas em linguagem de máquina, ou seja, códigos binários formados por sequências de 0 e 1.

Isso quer dizer que para aprender a programar, preciso aprender sobre codificação binária? Bem, esta é uma decisão sua, mas para te tranquilizar, a resposta é NÃO!

Programar diretamente em linguagem de máquina é sim possível, porém, é um processo lento e difícil, praticamente inviável nos dias de hoje devido a complexidade dos sistemas modernos. Sendo assim, para que você não precise codificar de forma binária, existem as linguagens de programação. Estas são próximas as linguagens humanas e, portanto, mais fáceis de serem lidas e compreendidas.

O que são linguagens de programação?

Resumindo, linguagens de programação são padrões de codificação binária, com sintaxe e semânticas específicas. Desta forma, capazes de criar instruções para máquinas. Graças a esses conjuntos de códigos e recursos, é possível criar programas e sistemas para resolver os mais diversos problemas do cotidiano.

Para melhor compreensão!

O humano fala através de um idioma, já o computador entende binário. Então para que ambas as partes consigam se comunicar, é necessário um intermediário: uma linguagem de programação.

Através dela, é possível programar  de uma forma que um compilador traduza as instruções para o computador (em binário). De outra forma, caso seja uma linguagem interpretada, as instruções seriam repassadas a um interpretador para a sua execução.

Resumindo, linguagens de programação existem para ser o canal de comunicação de um programador com o hardware (máquina).

Tipos de linguagens de programação

Existem diversas categorias para classificar linguagens de programação, nesse post, iremos citar as 2 principais:

Paradigma de programação

Um paradigma de programação, a grosso modo, é a forma utilizada para resolver um problema computacional. Linguagens podem suportar mais de um paradigma (linguagens multiparadigma), este a ser escolhido conforme o problema a ser resolvido. Abaixo, os dois principais paradigmas de programação.

  • Paradigma Procedural ou Imperativo

Conceito de programação que define softwares como uma sequência de comandos para o computador executar. O nome do paradigma, Imperativo, está ligado ao tempo verbal, onde repassamos “ordens” ao computador: faça isso, depois isso e depois aquilo.

  • Paradigma Orientado a Objetos

Paradigma mais popular atualmente, trata-se de um conceito de programação baseado no uso de componentes individuais. Estes são chamados objetos e fazem parte da composição do software.

Alto ou baixo nível

As linguagens também são classificadas em níveis (alto ou baixo). Existem aquelas em que a sintaxe se aproxima a uma linguagem humana, por isso entram na categoria das linguagens de alto nível.

Por outro lado, existem as linguagens que possuem sintaxe e semântica próximas ao código de máquina, portando, classificadas como linguagens de baixo nível.

As linguagens de programação mais populares

Antes de mais nada, é importante esclarecermos algumas questões:

  • As linguagens tratadas aqui não foram selecionadas ao acaso, nem de acordo com a nossa única e exclusiva opinião. Para essa seleção, nos baseamos nos conceituados rankings da IEEE Spectrum, TIOBE e Redmonk!
  • Como os rankings passam por frequentes atualizações (e o próprio mercado de TI também pode nos surpreender), apresentaremos as linguagens de programação que ficaram entre as mais populares nos três rankings.
  • Para essa lista, foram consideradas apenas linguagens de “programação”. Não foram consideradas outros tipos de linguagens da área de tecnologia, como linguagens de marcação (HTML), linguagens de folhas de estilo (CSS), linguagens de consulta estruturada (SQL) e entre outras.
  • A lista não está ordenada, pois existem diversos critérios de ordenamento, como: popularidade, relevância, empregabilidade e por aí vai. Além disso, as posições estão em constante mudança, pois a linguagem de programação que faz sucesso hoje, pode já não ser mais tão relevante mês que vem ou ano que vem. Pensando nisso, o post será atualizado de forma anual.

Vamos lá? Veja abaixo quais são as principais linguagens de programação, bem como, suas histórias, curiosidades, objetivos e características!

Java

No início da década de 90, um grupo de engenheiros dava início ao Projeto Green, na empresa Sun Microsystems (hoje pertencente à Oracle). A ideia era criar novas tecnologias que permitissem a comunicação entre diferentes dispositivos utilizados no dia a dia das pessoas, como televisão, vídeo cassete, aparelhos de TV a cabo, eletrodomésticos e entre outros.

Sim, a ideia era promissora para a época, mas não deu certo,  o mercado ainda não possuía espaço para a tecnologia. Mas nem tudo foi em vão, afinal, esse projeto deu origem à linguagem de programação JavaCom a expansão da internet, a linguagem foi conquistando espaço e sendo utilizada para executar aplicações nos browsers. Desta forma, transcendendo a simples interpretação de códigos HTML.

Atualmente ela é usada para diversos fins e está presente também em sistemas operacionais, dispositivos móveis, mainframes e por aí vai.

Como explicar esse sucesso?

Bem, existem diversas características que tornam a linguagem Java tão popular, talvez a mais em evidência nos dias de hoje seja o fato de que Java é a linguagem base para o desenvolvimento de aplicações mobile para Android, simplesmente a plataforma mobile mais utilizada no mundo. Entretanto, além disso, podemos citar:

  • A sintaxe similar a outras linguagens mais antigas, como C e C++. Isso proporciona fácil entendimento para programadores dessas linguagens.
  • Suporte à Orientação a Objetos – Java é uma das principais representantes das linguagens orientadas a objetos.
  • Portabilidade – a compilação do código fonte cria um executável que, por sua vez, será interpretado por uma máquina virtual. A máquina virtual funciona como um intermediário entre o código e a plataforma na qual esse código será executado. Isso permite que a aplicação seja executada em diferentes plataformas (Filosofia WORA: write once, run anywhere. Em português, “Escreva uma vez, execute em qualquer lugar”).
  • Alta performance e entre outros fatores!

Linguagem C

Criada pelo cientista da computação Dennis Ritchie em 1972, a linguagem C é derivada das antigas ALGOL 68 e BCPL. Ela surgia da necessidade de escrever programas de maneira mais fácil que a linguagem Assembly (mais próxima do código de máquina e, portanto, mais complexa de se entender).

No ano seguinte à sua criação, C é usada para escrever uma versão do sistema operacional Unix e, com isso, passou a ganhar notoriedade.  Mas foi a partir do ano de 1978, com a publicação do livro “The C Programming Language”, que a linguagem passou a ser difundida no mercado, sendo utilizada também em outras áreas e para outros fins na programação de computadores.

Vantagens da linguagem C:

  • Por ser estruturada, a linguagem C torna o processo de desenvolvimento mais simplificado.
  • Fácil portabilidade
  • Simples, pois conta com um conjunto de bibliotecas de funções e sub-rotinas que auxiliam no desenvolvimento de sistemas.
  • Provê recursos também de baixo nível, permitindo a incorporação de códigos Assembly.

Hoje em dia, além de grande parte dos sistemas operacionais existentes no mercado serem escritos em C, a linguagem também é muito utilizada no desenvolvimento de interpretadores, compiladores, editores de texto, softwares de computação gráfica e tratamento de imagens, banco de dados e entre outros.

Linguagem C++

Como o próprio nome já nos permite concluir, C++ é uma linguagem baseada em C, criada na década de 80 por Bjarne Stroustrup. Inicialmente, o objetivo do cientista da computação era desenvolver uma nova versão do Kernell (núcleo) do sistema operacional Unix e, para isso, escolheu a linguagem C como base. Sua escolha foi devido à performance, portabilidade e possibilidade de uso para diversos fins.

Durante o desenvolvimento, Stroustrup implementou diversas melhorias à linguagem C, incluindo alguns recursos de orientação a objetos. A linguagem criada pelo cientista da computação recebia, inicialmente, o nome de “C com classes”. Entretanto, 3 anos mais tarde passou a ser chamada de C++.

C++ tornava-se assim uma linguagem muito poderosa, capaz de resolver problemas ainda mais complexos. Ela continua em constante evolução e hoje é utilizada nos mais diversos tipos de aplicações, como: jogos, editores de texto, editores de imagem e entre outras tantas finalidades.

Principais características

  • Multi-paradigma
  • Compatibilidade com a linguagem C
  • Portabilidade
  • Boa performance

Linguagem C#

C# (lê-se “c sharp”), trata-se de uma linguagem de programação desenvolvida pela Microsoft e lançada em julho de 2002. A linguagem é um dos recursos da plataforma .NET (pronuncia-se “dot net”), que foi criada com o objetivo de melhorar a comunicação entre diferentes tecnologias utilizadas pela empresa.

É uma linguagem orientada a objetos, cuja sintaxe foi baseada nas precursoras C++, Java e Object Pascal. Desse modo, programadores que conhecem pelo menos uma destas linguagens, podem facilmente aprender a programar em C#.

Principais características

  • Suporte à Orientação a Objetos;
  • Uso do conceito de máquina virtual (assim como Java)
  • Portabilidade
  • Sintaxe simples e de fácil compreensão

O sucesso da linguagem C# é muito relacionado a sua constante evolução, mas também pelo leque de recursos que a tecnologia oferece, aumentando a produtividade no processo de desenvolvimento. A linguagem pode ser utilizada na criação de diversos tipos de aplicações, com foco em soluções de alto nível.

Python

Criada no início dos anos 90, Python é uma linguagem de programação desenvolvida e distribuída pela Python Software Foundation, comumente utilizada para fins diversos na programação. Considerada uma linguagem de altíssimo nível, Python suporta diferentes paradigmas de programação e conta com recursos poderosos.

Uma das principais características da linguagem Python é a legibilidade do código. A linguagem possui uma sintaxe moderna e clara, o que favorece a escrita de códigos organizados, fáceis de compreender e manter, sem perda em produtividade.

Outras duas propriedades fazem do Python uma das principais linguagens de programação do mercado:

  • Suporte a múltiplos paradigmas de programação
  • Desenvolvimento comunitário, o que facilita a constante evolução da linguagem

Python é muito usado em aplicações web, soluções complexas, jogos e entre outros. Essa linguagem também é frequentemente ensinada em cursos de lógica de programação devido à simplicidade da sintaxe. Além de tudo isso, Python tem sido muito utilizado para o desenvolvimento de aplicações que se utilizam de técnicas de Inteligência Artificial e Aprendizado de Máquina (Machine Learning – ML).

JavaScript (JS)

Muita gente confunde JavaScript com Java, por isso é preciso deixar isso bem claro. São duas linguagens de programação distintas. Em outras palavras…

JavaScript não é Java!

Essa confusão entre as duas linguagens existe desde o lançamento do JavaScript e se deve, claro, aos seus nomes. Mas existe uma razão para elas possuírem nomes parecidos?

Sim! O JavaScript estava sendo desenvolvida pela empresa Netscape, que negociava na época uma parceria com a Sun Microsystems (do Java, lembra?). Assim, para aproveitar um pouco do sucesso da linguagem Java, em uma estratégia de Marketing, a linguagem que antes era chamada de LiveScript, foi lançada com o nome de JavaScript.

Além dos nomes, as sintaxes de Java e JavaScript também são parecidas. Mas isso também têm explicação: ambas, assim como muitas linguagens da época, foram baseadas em C, daí a semelhança.

OK, mas o que é JavaScript?

JavaScript é uma linguagem de programação criada para navegadores, com o objetivo de proporcionar maior interatividade às páginas web. Suportada hoje por todos os navegadores, o JavaScript é padronizado pela ECMA Internacional e considerado a linguagem de programação Web mais popular do mercado.

Se você buscar materiais sobre JavaScript na web, provavelmente você encontrará muita informação sobre o lado “client-side” da linguagem. Mas, o que é isso?

Client-side x Server-side

Grosseiramente, dizemos que o que é executado na interface do usuário é considerado client-side (lado do cliente), como o que aparece na sua tela (imagens, textos, cores, etc etc).  Por outro lado, tudo o que é executado no servidor é server-side (lado do servidor), por exemplo, a interação de um website com o seu banco de dados, local onde estão armazenados arquivos HTML, imagens, vídeos, dados de texto e demais arquivos que compõem a página que aparece para o usuário final.

Por que o JavaScript é tão especial?

Com JavaScript você pode trabalhar os elementos no client-side: alterar a estrutura de um documento HTML, modificar estilos CSS, realizar ações conforme a interação do usuário com a sua aplicação, realizar validações de formulários e muito mais. Em outras palavras, o JavaScript é o responsável por trazer vida a uma página web no lado client-side.

Entretanto, o JS é muito mais do que isso. Atualmente, devido a constante evolução da linguagem, a tecnologia pode ser utilizada inclusive no lado server-side e aplicações mobile. Desta forma, tornando-se uma das linguagens mais versáteis existentes.

Aqui também já oferecemos um curso focado em iniciantes em JavaScript. Em outras palavras, para aqueles que desejam aprender essas tecnologias do zero!

Perl

Perl é uma linguagem de programação criada e mantida pelo programador americano Larry Wall. A ideia de Wall era criar uma linguagem que, acima de tudo, fosse prática e proporcionasse mais liberdade ao desenvolvedor.

Principais características

  • Multiplataforma
  • Código aberto
  • Fácil de aprender, principalmente quando já se tem familiaridade com outras linguagens
  • Usos diversos: aplicações web, interfaces gráficas, programação de redes, processamento de textos, jogos, etc.

Quanto ao mercado de trabalho, há quem diga que a linguagem esteja caindo em desuso. No entanto, Perl continua em aprimoramento e ainda se mantém boas posições nos rankings mundiais de linguagens de programação. Entretanto, talvez não seja a realidade brasileiro.

Assembly

Assembly é uma linguagem de programação de baixo nível, também definida, muitas vezes, como linguagem de montagem. Nascida em meados dos anos 50 (Sim! Anos 50), o Assembly abriu as portas para a segunda geração de linguagens de programação, quando os computadores ainda funcionavam a válvulas.

Na época, se utilizava notação binária para programar, o que era uma tarefa extremamente difícil. Assim, a linguagem Assembly surgiu como uma alternativa, pois poderia ser compreendida de uma forma menos complexa. Ainda assim, o código Assembly necessitava ser traduzido para a linguagem de máquina. Neste momento, surge o Assembler, software capaz de realizar essa “tradução”.

ATENÇÃO! não confunda a linguagem Assembly com o sistema Assembler.

Provavelmente você deve estar se perguntando:

“Se Assembly é uma linguagem tão complexa, então ninguém mais deve usar, certo?”

Errado! Embora seja uma linguagem complicada, o Assembly ainda é muito utilizado no desenvolvimento de sistemas que atuam de forma mais próxima ao hardware, como drivers de dispositivos, firmwares e microcontroladores. Além de aplicações que precisam do máximo de recursos da máquina.

PHP

PHP é uma linguagem de programação de livre distribuição, utilizada em todo o mundo para criação de sistemas web dinâmicos. Com a expansão da internet, o programador Rasmus Lerdorf criou uma ferramenta simples para contabilizar o número de visitantes de suas páginas. Daí surge o Personal Home Page Tools, o embrião da linguagem PHP, baseado nas linguagens C e Perl.

Na segunda versão do PHP – que até então ainda não era uma linguagem de programação – novas funcionalidades foram adicionadas, dentre elas a interpretação de formulários. A partir disso, Lerdorf disponibilizou o código fonte do PHP para outros programadores que passaram a trabalhar no projeto e criar novos recursos à ferramenta.

Em 1998, os programadores israelenses Zeev Suraski e Andi Gutmans reescreveram o PHP, oferecendo novas funções e características capazes de torná-la uma linguagem de programação.

Desse modo, a linguagem se mantinha com o nome PHP, devido à popularidade já conquistada, mas o significado da sigla passava a ser PHP Hypertext Preprocessor, um acrônimo recursivo.

Os códigos PHP são interpretados no servidor, logo trata-se de uma linguagem server-side. Sempre que o navegador solicitar, o interpretador processa o código da página e gera um HTML, que será enviado como resposta ao cliente. Podendo incluir, por exemplo, informações do banco de dados, já que o PHP possui essa funcionalidade.

Principais características

  • Suporte tanto à programação estruturada, quanto à orientação a objetos
  • Fácil aprendizado (é necessário aprender HTML antes)
  • Boa performance
  • Portabilidade
  • Código aberto, é liberado para a comunidade de programadores trabalhar na evolução da linguagem e consultar problemas já resolvidos anteriormente

Se for para resumir, podemos dizer que o PHP é uma das linguagens programação mais populares e, portanto, uma das mais requisitadas pelo mercado de Desenvolvimento Web.

Ruby

Criado em 1995 pelo programador japonês Yukihiro Matsumoto (mais conhecido como Matz), o Ruby é uma linguagem de programação orientada a objetos e de sintaxe simples. A proposta de Matz era desenvolver uma linguagem legível, fácil e agradável, daí o slogan da linguagem:

“O melhor amigo do programador”

Inspirada em linguagens como Perl, LISP e SmallTalk, Ruby é utilizada principalmente no desenvolvimento de aplicações web.

Principais características

  • Linguagem interpretada
  • Multiplataforma
  • Produtividade
  • Código aberto (open source), mantido por uma comunidade ativa de desenvolvedores de todo o mundo

Ruby on Rails não é Ruby!

É muito comum encontrar materiais sobre essa linguagem com o nome de Ruby on Rails (ou Rails ou RoR). Contudo, fique esperto! Ruby on Rails é um framework utilizado em conjunto com o Ruby. Entretanto, Ruby on Rails não é a linguagem de programação. A linguagem de programação é apenas “Ruby”.

Dito isso, precisamos dar o devido mérito ao framework. O Ruby on Rails é responsável por muito do sucesso obtido pelo Ruby. Atualmente, muitas startups escolhem Ruby e Ruby on Rails para desenvolver suas aplicações, pois a tecnologia permite que se dedique mais tempo e atenção ao negócio em si do que ao desenvolvimento. Isto ocorre, pois normalmente os prazos para conclusão dos projetos que usam essas tecnologias são mais curtos, tamanho é a produtividade que a linguagem e o framework proporcionam.

Ruby já é uma das linguagens de programação mais populares e ainda possui altas perspectivas de crescimento. Trata-se de uma tendência! Aplicações web de grande relevância, como Twitter e GitHub utilizam a linguagem.

Google Go

Go é uma linguagem de programação criada pela Google. Possui o propósito de aumentar a produtividade em projetos. A linguagem foi lançada em 2009, surgindo como solução para atender a diversas necessidades da empresa.

O foco da linguagem é a performance, buscando ótimos desempenhos tanto da compilação, quanto de processamento da aplicação. A Go é multiplataforma, com suporte para Linux, Windows, MacOS e entre outros.

Outras características

  • Código aberto
  • Combina recursos de alto e baixo nível
  • Sintaxe simples, buscando facilidade para aprender e programar
  • Altamente escalável
  • Ótimo recurso de programação concorrente

A linguagem Go vem alcançando posições cada vez melhores nos rankings das linguagens de programação. Dropbox, Uber e SendGrid são alguns exemplos de empresas que utilizam essa tecnologia. No Brasil, a tecnologia ainda não é muito forte.

Swift

Criada pela Apple, Swift é uma linguagem de programação destinada ao desenvolvimento de aplicativos para as plataformas da marca, como Mac OS, iOS, Apple Watch e Apple TV.

Swift é open source e foi projetada também com o objetivo de proporcionar liberdade para os programadores. Possui sintaxe simples, performance e possibilidade incorporar códigos em Objective-C (antecessor ao Swift).

A linguagem Swift vem ganhando cada vez mais espaço no mercado de TI. Afinal de contas, se você deseja trabalhar com os produtos da Apple, você precisa aprender Swift ou Objective-C. E, convenhamos, a Apple ocupa uma fatia substancial do mercado de TI.

Visual Basic (VB)

Em meados da década de 60, os matemáticos John George Kemeny e Thomas Eugene Kurtz criaram a linguagem de programação BASIC. Esse nome é um acrônimo de Beginner’s All-purpose Symbolic Instruction Code que, em português, significa Código de Instrução Simbólica para Iniciantes.

O objetivo dos professores era criar uma linguagem para uso didático, mais simples de ser assimilada pelos estudantes. Assim, o BASIC, que havia sido inspirado em FORTRAN e ALGOL 60, ganhava cada vez mais popularidade, exatamente pela facilidade de aprendizado.

Já na década de 90, depois de inúmeros trabalhos realizados com o Basic, a Microsoft lançava a primeira versão do Visual Basic, uma linguagem de programação orientada a objetos baseada em Basic que, dentre diversas funcionalidades, passou a contar com recursos para criar interfaces gráficas para o usuário.

Em 2002, a linguagem passava a fazer parte da plataforma .NET da Microsoft, passando a ser chamada comumente de VB .NET. Para a empresa, tornar o VB um novo integrante da plataforma .NET foi uma forma eficaz de unir a produtividade oferecida pela linguagem aos poderosos recursos oferecidos pelo framework.

O Visual Basic .NET, embora tenha perdido espaço para outras tecnologias como Java e C#, ainda é muito utilizado no mercado de soluções de alto nível.

Linguagem R

Desenvolvida na década de 90, R é uma linguagem de programação destinada à computação estatística. O nome da linguagem vem das iniciais de seus criadores, os estatísticos neozelandeses Ross Ihaka e Robert Gentleman.

R é open source, sendo constantemente aprimorado por diversos profissionais pelo mundo. A linguagem também é multiplataforma, com suporte para sistemas operacionais Linux, Windows e Mac.

Desde seu surgimento, a linguagem R é amplamente utilizada no desenvolvimento de aplicações de estatística, sistemas para construção de gráficos, softwares de análise de dados e entre outros. R conta com grandes bibliotecas de funções específicas para a área de estatística, além de um importante Ambiente de Desenvolvimento Integrado (IDE) que recebe o mesmo nome da linguagem.

Ultimamente, a linguagem R ganhou muito destaque devido a sua constante utilização para o desenvolvimento de sistemas baseados em técnicas de Machine Learning – ML. Em outras palavras, R é uma tendência, provavelmente, já uma realidade em países mais adiantados.

Objective-C

Trata-se de uma linguagem de programação orientada a objetos, baseada em SmallTalk e C, multiplataforma, criada pelos cientistas da computação Brad Cox e Tom Love no início dos anos 80. A ideia era criar uma linguagem de programação que primasse pela reutilização de código.

O Objective-C hoje pertence à Apple, sendo utilizada no desenvolvimento de aplicações para o sistema iOS. Embora a companhia tenha criado a linguagem Swift baseada em Objective-C, a intenção, segundo a própria Apple, não é uma linguagem substituir a outra, mas sim fazer com que ambas sejam capazes de coexistir. Assim, aplicativos desenvolvidos em Swift podem ter partes do código escritas em Objective-C e vice-versa.

Apesar dessa filosofia apresentada pela Apple, o Objective-C encontra-se em declínio, devido a ascensão da linguagem Swift. Entretanto, a linguagem ainda apresenta boas colocações nos rankings de popularidade mundial.

Afinal, qual é a melhor linguagem de programação?

Não há! Entenda que não existe uma linguagem melhor que outra, cada uma tem suas características que a tornam mais adequada para cada projeto. É muito importante que você identifique as necessidades da sua aplicação e busque uma linguagem que ofereça os melhores recursos para atendê-las. Claro, dependendo da sua área de atuação e especialização no mercado de desenvolvimento, você irá acabar trabalhando mais com uma linguagem ou outra. Abaixo alguns exemplos:

  • Para desenvolvedores front-end: JavaScript
  • Para desenvolvedores back-end: Java, PHP, C, C++, Python, Ruby, C# e por aí vai
  • Para desenvolvedores mobile: Java, Swift, Objective-C e JavaScript
  • Para Cientistas de Dados: Python ou R
  • Para iniciantes: Python ou Ruby

Portanto, tenha foco e coerência com a sua área de atuação, mas ao mesmo tempo, não se prenda a uma única tecnologia salvadora e perfeita. Existem muitas opções e combinações de conhecimentos que são extremamente válidos.

Se você deseja aprender a programar, busque bons cursos e dedique um tempo todos os dias para isso. Programar é como tocar um instrumento: você nunca vai aprender apenas com teoria. É preciso praticar, praticar e quando se cansar… pratique mais um pouquinho!

Espero que esse post ajude você a entender mais sobre programação e as tão famosas linguagens! Sugestões, comentários e críticas, fique à vontade para comentar, ficaremos felizes em ouvir você! Até a próxima!

Fonte: NEMORA DORNELLES – Beecode.com.br

Artigos Relacionados

Pin It on Pinterest